Imprimir amigável, PDF e e-mail

Ainda relativamente desconhecidas do grande público, as sociedades cooperativas de interesse coletivo - SCIC - somavam 735 no final de 2017 e crescem 20% ao ano. Reúnem todos os stakeholders interessados ​​em dar uma resposta coletiva a uma questão identificada num território, dentro de um quadro jurídico rigoroso.

A SCIC é uma empresa comercial e cooperativa em que as comunidades locais podem entrar livremente no capital e participar numa governação necessariamente partilhada: o lugar de cada uma é claro, pois é regido por normas de direito (direito das sociedades, cooperação e autarquias locais) e pelo contrato entre os membros. Desenvolvimentos institucionais recentes fortalecem a legitimidade e responsabilidades das comunidades locais, do município à Região, na manutenção e desenvolvimento das atividades econômicas e de utilidade social em seu território.

Esses desafios de coesão social e econômica levam as comunidades a inventar novos modos de ação, formas renovadas e dominadas de parceria público-privada. Os SCICs respondem a este desejo, permitindo que os atores locais e habitantes se envolvam no desenvolvimento do seu território com as comunidades locais. Quando uma autarquia local participa num SCIC, desempenha um papel activo junto de outros actores locais no sentido de melhorar a qualidade e eficiência da tomada de decisões públicas, contribuir para a sua legitimidade e reforçar a coesão económica e social da comunidade. .

O objetivo desta formação é fazer com que descubra esta ferramenta inovadora que é o SCIC: os seus princípios de criação e funcionamento, o panorama dos SCICs existentes, o seu potencial de desenvolvimento. Você também descobrirá os métodos de cooperação entre as autoridades locais e a Scic.

LEIA  Licença remunerada: novo financiamento governamental para setores fortemente impactados pela crise da saúde

Continue lendo o artigo no site original →