Imprimir amigável, PDF e e-mail

Num contexto de deterioração, a secção “Juventude” do plano governamental de apoio à actividade permitiu evitar o colapso dos recrutamentos. De acordo com um relatório provisório apresentado pelo Ministério do Trabalho durante o Conselho de Ministros de 6 de janeiro de 2021, mais de um milhão de menores de 26 anos foram recrutados com contratos permanentes ou a prazo fixo de 3 meses ou mais desde o lançamento da contratação excepcional bônus em 1º de agosto, nível quase equivalente ao de 2019.

Todas as empresas, bem como associações, são elegíveis para o esquema. Os empregadores têm quatro meses a partir da data de assinatura do contrato para solicitar aos serviços do Estado que beneficiem desta assistência paga pela Agência de Serviços e Pagamentos (ASP) em determinadas condições. Em particular, a AEJ, para Auxílio na contratação de jovens, não pode ser concedida a empresa que tenha efetuado dispensa econômica do cargo em questão desde 1º de janeiro de 2020.

O seu montante é de 4 euros no máximo para trabalhador a tempo inteiro, sendo os pagamentos efectuados trimestralmente mediante apresentação de certificado de presença do trabalhador pelo empregador, sempre em

Continue lendo o artigo no site original →

LEIA  Pausa para café: comunicação interpessoal