Imprimir amigável, PDF e e-mail

Desde o início do vírus, foram instituídas isenções das condições de elegibilidade para o benefício de benefícios diários da seguridade social e compensação adicional do empregador. O período de espera também foi suspenso.

Assim, a partir de 1º de fevereiro de 2020, os funcionários expostos à Covid-19 que foram sujeitos a uma medida de isolamento, despejo ou assistência domiciliar devido, em particular, ao contato com uma pessoa doente com Coronavírus ou depois de ter permanecido em área afetada por foco epidêmico, usufruía de benefícios previdenciários diários sem ter que cumprir as condições relativas a períodos mínimos de atividade ou mínimos contributivos. Ou seja, trabalhar pelo menos 150 horas por um período de 3 meses corridos (ou 90 dias) ou contribuir com um salário pelo menos igual a 1015 vezes o valor do salário mínimo por hora durante os 6 meses corridos anteriores à paralisação . O período de espera de 3 dias também foi suspenso.

Este regime derrogatório sofreu modificações ao longo de 2020, em particular no que diz respeito à compensação adicional do empregador.

Este dispositivo excepcional terminaria em 31 de dezembro de 2020. Mas sabíamos que seria estendido. Um decreto, publicado em 9 de janeiro ...

Continue lendo o artigo no site original →

LEIA  Ventilação artificial: nível avançado