Imprimir amigável, PDF e e-mail

Segundo o psicólogo americano e criador do conceito Daniel Goleman, a inteligência emocional é tão importante quanto a capacidade intelectual dos colaboradores. Em seu livro “Inteligência Emocional, volume 2”, ele relata os resultados de três anos de pesquisas internacionais sobre o assunto e deduz que o quociente emocional é um dos fatores mais importantes para o sucesso profissional. O que é realmente? Isso é o que veremos imediatamente.

O que significa inteligência emocional?

Em termos mais simples, a inteligência emocional é a nossa capacidade de compreender as nossas emoções, de as gerir, mas também de compreender as dos outros e de as ter em conta. Mais e mais pessoas encarregadas da gestão de recursos humanos estão dando especial importância a este conceito, a fim de criar um ambiente de trabalho mais gratificante para os trabalhadores. Começa com a introdução de um cultura de comunicação e colaboração no nível da equipe.

O conceito de inteligência emocional é, portanto, composto de cinco habilidades diferentes:

  • Autoconhecimento: conheça a si mesmo, ou seja, aprenda a reconhecer nossas próprias emoções, nossas necessidades, nossos valores, nossos hábitos e a identificar nossa verdadeira personalidade, isto é, quem somos.
  • Autorregulação: é a nossa capacidade de controlar nossas emoções para que sejam a nosso favor e não uma fonte infinita de preocupação para nós e nossos colegas.
  • Motivação: é a capacidade de todos de definir metas mensuráveis ​​e focar nelas apesar dos obstáculos.
  • Empatia: é a nossa capacidade de nos colocar no lugar das outras pessoas, ou seja, de compreender suas emoções, sentimentos e necessidades.
  • Habilidades sociais: é a nossa capacidade de nos comunicarmos com os outros, seja para convencer, para liderar, para estabelecer um consenso ...
LEIA  assertividade

A importância da inteligência emocional no mundo profissional

Atualmente, grande parte das empresas modernas adotou o "espaço aberto", ou seja, um espaço de trabalho aberto que permite aos funcionários e gerentes trabalhar em equipe e aumentar o desempenho da empresa. empresa. Devido a essa proximidade, é necessário que cada colaborador adquira uma inteligência emocional melhor. Isso é necessário para que ele possa reconhecer melhor as emoções, sentimentos e necessidades de seus colegas ou subordinados, a fim de promover um clima de trabalho de qualidade.

Ao garantir a coesão entre os funcionários, a inteligência emocional também garante o desenvolvimento de uma equipe muito mais eficiente. Tem o efeito de melhorar a produtividade através da prática de diferentes exercícios de estimulação da inteligência emocional. Além disso, a empatia, que é uma das habilidades da inteligência emocional, promove uma melhor comunicação interpessoal dentro da empresa e facilita a coordenação de equipes que não competem, mas trabalham juntas.

Seis emoções primárias para identificar

Reconhecê-los torna mais fácil para nós usá-los a nosso favor. Como regra geral, aprender a se adaptar adequadamente ao comportamento gerado por suas emoções melhorará sua inteligência emocional.

  • Alegria

Este sentimento é caracterizado por um súbito aumento de energia e uma sensação de bem-estar. É o resultado da secreção de hormônios do prazer, como a ocitocina ou a endorfina. Eles desenvolvem otimismo.

  • Surpresa

É o sentimento que indica um assombro graças a ou por causa de uma coisa ou situação inesperada. O resultado é o desenvolvimento de nossos órgãos dos sentidos, responsáveis ​​pela visão e audição. Este é o resultado de um alto influxo de neurônios.

  • Desgosto
LEIA  Como se integrar com sucesso em uma nova equipe?

É a total repugnância ou desinteresse em algo ou situação que consideramos ruim para nós. Geralmente, isso causa uma sensação de náusea.

  • Tristeza 

É um estado emocional que vem com um período de calma para ganhar um evento doloroso. É apresentado por um abrandamento das línguas gestuais ou pelo ritmo dos movimentos.

  • Raiva 

Isso reflete descontentamento quando algo que é importante para nós foi arrancado de nós ou algo está sendo imposto a nós ou algo que não aprovamos. Isso leva a um acúmulo de energia.

  • Medo 

É a consciência de um perigo ou uma ameaça de acordo com uma situação e forças para pensar nos diferentes meios para enfrentá-lo ou para escapar dele. Isso causa um aumento na adrenalina e o influxo de sangue para os músculos em caso de deslocamento súbito de esforço físico.

Inteligência emocional na liderança

Verifica-se que as pessoas que possuem forte inteligência emocional têm melhor liderança e vice-versa. Como resultado, o nível de liderança não depende da posição que um gerente ocupa na empresa, mas de sua capacidade de integrar-se aos funcionários e de se comunicar com os outros. Somente cumprindo estes critérios, um líder pode ser qualificado como um líder eficaz.

Um gerente também é julgado de acordo com seu comportamento e ações, isto é, por sua comunicação não verbal. Seguindo o princípio de "dar e dar", os funcionários responderão facilmente aos seus pedidos com base no respeito e atenção às suas necessidades. É a capacidade empática e a aptidão social que desempenham um papel vital aqui.

LEIA  Como escutar efetivamente?

Que lugar para dar à inteligência emocional nos recrutamentos?

Daniel Goleman nos alerta sobre o mau uso da inteligência emocional, pois era para o quociente de inteligência. Com efeito, o quociente de inteligência foi uma ferramenta para determinar a capacidade intelectual e a aptidão de cada um para o sucesso na vida profissional. No entanto, os resultados dos vários testes determinam apenas 10 a 20% do sucesso profissional. Portanto, não faz sentido basear uma entrevista em resultados incompletos.

Por outro lado, a inteligência emocional pode evoluir através de diferentes exercícios e práticas. Além disso, é impossível atribuir uma pontuação, pois os cinco componentes nos quais a inteligência emocional está baseada não são mensuráveis ​​ou quantificáveis. É possível que controlemos apenas uma parte desses componentes e tenhamos uma deficiência em outra.

Em suma, dominar a inteligência emocional dos gerentes e trabalhadores de uma empresa contribui para melhorar sua produtividade e sua capacidade de adaptação à constante mudança em seu ambiente. Isso representa um ganho de qualidade de vida e desenvolvimento profissional, cujo nível pode variar de uma pessoa para outra.